Roubo de Bicicletas Aumenta Quase 50% no Brasil

Por Álvaro Perazolli

Jornalista, Fotógrafo, Biker e Colaborador na Veloseguro

Publicado em 29 de junho de 2018. | Atualizado em 03 de julho de 2018.


O aumento do número de ciclistas e o alto custo das bicicletas está entre os principais fatores.

Esse é um dado da SSP (Secretaria de Segurança do Estado de São Paulo). Notícia que chamou a atenção de portais de notícias e de emissoras abertas, como foi o caso da veiculação no programa Fala Brasil da Rede Record, na segunda quinzena de maio de 2018.

Alguns dos entrevistados da matéria em questão e muitas pessoas não ligadas ao segmento relacionam o aumento dos roubos e furtos aos altos valores das bicicletas.

Duilly Cicarini, CEO da Veloseguro e Triatleta, diz que não é apenas por isso, mas sim pelo aumento de ciclistas e consequentemente de bicicletas expostas aos criminosos no Brasil. “Um dos principais fatores que incentivam aumento do número de roubos de bikers é a existência de mercados paralelos e compradores”.

“Hoje na internet há uma legião de pessoas que não se preocupam com a procedência ou até mesmo negligenciam o fato do preço indicar que pode tratar-se de produto de origem criminosa. Se até mesmo lojistas vendem sem emitir nota fiscal e o cliente não vê problema, o que dirá de uma bicicleta pela metade do preço?”, declara Duilly.

Viviane P. A., que preservaremos a identidade, é uma vítima dessa estatística. Ela reside no interior de São Paulo e em dezembro de 2017 foi abordada por dois homens em uma moto. A ciclista estava sozinha e foi ameaçada com uma faca. Os criminosos roubaram uma Cannondale no valor de R$ 33 mil. 

“Parecia um pesadelo! Não queria acreditar que aquilo estava acontecendo comigo. Uma sensação de impunidade, pois vi um sonho ser tirado e não pude fazer nada”, conta Viviane que felizmente possuí um seguro de bicicletas da Veloseguro.com e foi ressarcida após o incidente.

Uma bicicleta é roubada a cada 30 minutos em São Paulo

Segundo informações do site Bicicletasroubadas.com.br e da SSP, São Paulo lidera o ranking das cidades com mais roubos e furtos de ciclistas. Ela é responsável por quase 40% dessa estatística, foram 573 roubos registrados em 2017.

Em segundo temos o Rio de Janeiro, seguido por Curitiba, Brasília e Belo Horizonte.

Os números podem ser ainda mais alarmantes, pois em mais de 50% dos casos não é feito o Boletim de Ocorrência. Dados de uma pesquisa espontânea das entidades de cicloativistas (Ciclocidade, Aromeiazero, Aliança Bike, CicloBR, Bike é Legal e Vá de Bike).

Ter uma bike hoje sem um seguro no Brasil acaba sendo tão arriscado quanto não ter em um automóvel.

Reflexo que origina o crescimento de seguradoras de bicicletas. Um dos destaques é a corretora Veloseguro.com.

“O atendimento da Veloseguro.com não poderia ter sido melhor melhor. Fiz o seguro de uma bicicleta pela primeira vez e não me arrependo de ter escolhido eles”, revela Viviane P. A., cliente da Veloseguro e vítima de um assalto no interior de SP em dezembro de 2017.

Após o assalto Viviane adquiriu uma outra Cannondale no valor de R$ 46 mil e diz que não teria outra bike do mesmo nível caso não tivesse segurada. “Depois do ocorrido não tenho mais coragem de ficar sem cobertura”.

Veloseguro.com oferece um dos seguros mais completos e pensado no ciclista. Além de roubos e furtos, eles cobrem extravio no transporte aéreo e terrestre, avarias em competições e acidentes.

Faça uma simulação do seguro de forma gratuita e bem simples.