Cuidados para comprar uma bike ou peças usadas

Por Álvaro Perazzoli

Jornalista, Fotógrafo, Biker e Colaborador na Veloseguro

Publicado em 25 de fevereiro de 2019. | Atualizado em 25 de fevereiro de 2019.


Já pensou em comprar uma bike ou componentes de segunda mão?  Este artigo traz dicas importantes para você fazer bons negócios e proteger-se contra golpes ou simplesmente ajudar a não alimentar o comércio ilegal de bikes e peças roubadas. Siga estes passos para não cair, literalmente, numa “roubada”.

Canais Online

Existem hoje diversos locais na web onde são encontrados anúncios de bikes e componentes.

São eles os grupos de Whatsapp, páginas em Redes Sociais, Sites de Lojas, Fóruns, Plataformas de comércio como Mercado Livre, Olx, Ebay e outros.

Em todos eles você precisa estar atento à reputação do vendedor, às respostas a perguntas e ao que outros compradores falam nas avaliações, além de observar se ele possui a nota ou alguma forma de comprovar a procedência. 

Lojas Físicas

Certamente são a melhor opção para comprar mercadoras usadas, uma vez que o problema da procedência passa a ser uma responsabilidade do lojista, já que ele tem endereço, CNPJ e um representante legal facilmente localizável.

Lojas mais preparadas oferecem ainda garantias em muitos casos.

Contudo, é importante você questionar sobre a procedência, se existe a nota fiscal do bem usado e, principalmente, peça um recibo relacionando as peças ou o número de série caso compre uma bike usada em uma loja. 

Particulares

Seja pela web ou pessoalmente, tenha muito cuidado quando fizer a compra diretamente com o proprietário.

Mesmo que você conheça bem o vendedor, é importante tomar cuidados básicos, como verificar a conservação da bike e componentes, preferir adquirir bens com a nota fiscal e, caso não seja possível, prefira pagar por depósito e exija um recibo discriminando os componentes, número de série do quadro (se houver).

A situação ideal, caso o proprietário não possua a nota fiscal, é perguntar em qual cartório o vendedor possui sua firma reconhecida e, com o recibo na mão, reconhecer a assinatura do vendedor e anexar ainda uma cópia do seu documento.

Soa burocrático mas, acredite, se você está lidando com vendedor idôneo, ele irá compreender a sua preocupação e afinal, a sua parte que é pagar, será confirmada antes da conclusão da venda, não é verdade?

Vale à pena também observar o que outras pessoas falam sobre esse vendedor, se ele é conhecido na comunidade de ciclistas e o quão confiável é. 

Feira de produtos usados

Cuidado, muito cuidado ao comprar bicicletas e peças usadas em feiras, estilo “robauto”. É aquela história: Diga-me com quem (e onde) andas que te direi quem és.

É claro, existem hoje em dia feiras organizadas por assessorias ou grupos de ciclistas e geralmente os proprietários estão disponíveis para negociar e, nestes casos, aplica-se as dicas para compras de particulares. 

Você sabia?

Se sua bike é roubada e depois recuperada pela polícia, perante a lei, a única forma de comprovar a propriedade do bem é a nota fiscal?

Um delegado de polícia possui o que é chamado de poder discricionário, ou seja, em muitos casos de ausência da nota fiscal, à depender da sua análise subjetiva, ele poderá restringir a comprovação à apresentação da nota fiscal ou talvez aceite que você apresente outros elementos para comprovar que você seja realmente o dono.

Saiba mais lendo esta matéria onde mostramos como evitar um furto de bicicleta.

Preço muito baixo

Desconfie, desconfie muito! Na dúvida ou impossibilidade de comprovar a procedência não compre!

Aqui vale a máxima de que “Quando a esmola é demais, o santo desconfia”.

E, prezado ciclista, se você desconfia, mas é afeito à Lei de Gerson, desculpe-me, este post não é para você.

Número de série

Vale à pena pedir o número de série ao vendedor antes mesmo de efetuar a compra.

Com ele você pode fazer uma rápida pesquisa em sites especializados em furto e roubo de bicicletas ou mesmo digitar este código no Google em busca de alguma referência. Um exemplo de site especializado é www.bicicletasroubadas.com.br

Verifique se há alguma pintura cobrindo o número de série ou mesmo se está raspado e se este for o seu caso, bem, vai ficar um pouco mais difícil pra você explicar depois, se não tiver a nota fiscal.

Lembre-se que mesmo que comprove de quem você adquiriu a bike, ainda sim você poderá ser processado por receptação de mercadoria fruto de roubo, caso pese alguma denúncia de furto da mesma.

Você perde dinheiro e reputação, que costuma ser muito pior.

Nota fiscal

A nota fiscal é requisito básico para quem quer fazer uma boa compra, mesmo quando falamos de usados.

Dificilmente será emitida uma nova nota de um item de segunda mão, porém você deve exigir a primeira nota e um recibo de compra e venda.

Você está livre para comprar uma bike ou componente sem nota fiscal, mas estará comprando um risco, sem falar que será mais difícil passar adiante este “camelo”, a não ser que sua sorte seja a mesma de quem lhe vendeu.

A sugestão da Velo é que você procure sempre por opções com nota fiscal.

Compre apenas se tiver absoluta certeza e confiança no vendedor e na procedência do produto, embora, sem a nota fiscal, o máximo que você terá é um: “La garantia soy yo!” E por falar em garantia...

A nota fiscal ainda permite que você possa fazer jus à garantia, em caso de furto, se sua bike é recuperada, você tem como comprovar que você é o legítimo proprietário.

Ah, a nota fiscal irá aumentar o leque de opções de seguros de bicicleta, já que existem companhias de seguro que não aceitam a inclusão da bike sem sua nota fiscal.

Para saber quais as seguradoras aceitam bike sem nota fiscal, veja este comparativo.

Nem pense em sair do país...

Se você não possui a nota fiscal, você terá dificuldades na logística de provas internacionais.

Se você sair do país com uma bike sem a nota, no retorno ela poderá ser taxada pela Receita Federal. Acredite. Isto ocorre bastante.

Se você costuma viajar para competir, leia esta matéria com 10 dicas para evitar o furto da sua bike durante uma competição.

Conclusão

O mercado de usados é sim uma opção vantajosa, mas requer cuidados da sua parte. Pode ser uma ótima oportunidade para quem precisa de um produto de alta performance e não pode desembolsar o valor de um novo.

Porém, os cuidados mencionados aqui irão te ajudar a evitar que aquilo que parece uma oportunidade, se torne um grande transtorno e prejuízo no futuro.

Atenção! Os maiores incentivadores do comércio ilícito é quem compra sem preocupação com a procedência da bike e componentes.

Não incentive este mercado, pois além de cúmplice, a próxima vítima pode ser você.

Afinal, você planta o que colhe.