Por que o Seguro de bike cresce no Brasil?

Por Pedro Werneck

Graduando em Publicidade e Parceiro Veloseguro

Publicado em 29 de janeiro de 2016. | Atualizado em 11 de dezembro de 2018.


A cada ano, mais e mais pessoas aderem à bicicleta como forma de esporte, lazer e meio de transporte. Os seguros de bike acompanham este crescimento.

A força que as bikes vem ganhando, faz com que o setor de produção de bicicletas se consolide no país e em 2018 a projeção da Abraciclo é que haja um incremento significativo entre as classes A e B.

​O empoderamento das bicicletas tem ligação forte com o uso cada vez maior destas como transporte urbano, aliado à uma política pública que passa a incluir em seu planejamento urbano a construção de infraestrutura cicloviária, tendo em vista a necessidade crescente de melhoria da mobilidade urbana, principalmente nos grandes centros urbanos.

De acordo com o estudo “Perfil do Ciclista Brasileiro”, feito pelas organizações não governamentais Observatório das Metrópoles e Transporte Ativo, com ciclistas de dez regiões metropolitanas do Brasil, a maioria usa a bicicleta como transporte, para ir ao trabalho (88,1%), e pedala cinco dias ou mais por semana (71,6%). A maioria dos entrevistados coloca a redução do tempo de deslocamento e praticidade como principais pontos para escolher ir de bike, seguidos por saúde e custo.

Em um mercado cada vez mais consolidado, uma indústria mais forte e o aumento na qualidade dos produtos, o preço médio das bikes também estão subindo. Isso vem fazendo com que, infelizmente,  o número de assaltos e furtos de bicicletas acompanhe essas estatísticas.

Foi-se o tempo em que os ladrões de bicicletas se reduziam a alguns poucos mau caráter oportunistas que não perdiam uma oportunidade de roubar quando se deparavam com uma bike desprotegida. Os assaltantes de hoje estão bem preparados, conhecem o valor das bicicletas e direcionam sua atenção para bicicletas específicas, que chegam a valer bem mais do que um carro popular.

Assaltos a mão armada, emboscadas, furtos à residências e furtos durante o transporte da bike são perigos que quem pedala enfrenta ao sair para uma trilha ou ao pedalar pela cidade e estrada. E a sensação de insegurança de quem sai para pedalar tem feito crescer a procura por seguros de bicicleta.

O mercado de seguros de bicicleta é relativamente novo e conta com um número pequeno de seguradoras que oferecem essa proteção. A grande maioria dos ciclistas tem um conhecimento pequeno sobre as vantagens do seguro. Segundo uma pesquisa realizada ainda em 2015 com mais de 500 ciclistas brasileiros pela Veloseguro, 70% dos participantes não conhecem ou não sabem onde contratar um seguro de bicicletas.

Entretanto, esse número vem diminuindo. Mais e mais amantes do pedal procuram se informar sobre as opções de seguro e suas diferentes coberturas.

A imagem acima foi retirada do site Google Trends, onde é possível mensurar a quantidade de vezes que um termo foi pesquisado no Google. Colocamos os termos ‘Seguro de bicicleta’ e ‘Seguro para bicicleta’, para avaliarmos a quantidade de procura que esses termos tem desde 2008.

O resultado mostra como o interesse por seguros voltados para a bike vem crescendo com o passar dos anos. Foi somente em 2011 que o Google registrou um número significativo de pesquisas para colocá-lo no gráfico. Desde então, a procura vem aumentando a cada ano.

Entretanto, o seguro para bicicleta ainda sofre com a existência de mitos e desinformação, muitas vezes não atraindo o ciclista para conhecer o produto. Mitos como: o seguro de bicicleta é muito caro ou bicicleta sem nota fiscal não pode ser segurada, são alguns dos tipos de mitos que não condizem com a realidade dos seguros.

As seguradoras que trabalham com seguro de bicicleta no Brasil, disponibilizam diferentes coberturas, sendo que os seguros básicos cobrem assalto (ou roubo), furto qualificado em residência e acidente ou dano enquanto a bike é transportada. Para quem quer mais proteção em um seguro só, já existem opções que cobrem danos que a bicicleta pode sofrer enquanto o ciclista pedala, com cobertura de danos a terceiros até acessórios como medidores de potência. 

Os seguros de bicicleta estão caminhando lado a lado com a indústria da bicicleta no Brasil,  e mostram que, apesar da recessão na economia brasileira, sua participação vem crescendo, e os sinais mostram que isso é só o começo.

Caso tenha queira saber quanto ficaria um seguro para sua bicicleta, faça uma simulação gratuita, e conheça as vantagens de pedalar seguro.