5 Mitos sobre Seguro de Bike

Por Pedro Werneck

Apaixonado por bicicletas, publicitário e parceiro Velo

Atualizado em 04 de fevereiro de 2020.|  Publicado em 23 de novembro de 2015. 


Aqui vamos te mostrar quais os mitos que ainda existem quando o assunto é seguro de bicicleta.

O seguro de bicicleta cobre qualquer tipo de situação? Será que minha bike é aceita? E custa quanto?

Pensando em responder estas e outras questões, preparamos este guia com os 5 principais mitos que podem estar impedindo você de contratar o seguro de bicicleta correto para sua necessidade.

Em 2015 fizemos uma pesquisa com ciclistas de todo o Brasil naquela época mais de 70% dos ciclistas entrevistados não conheciam ou não sabiam onde e como contratar o seguro para suas bikes.

Cinco anos depois esta realidade mudou bastante, mas ainda é possível encontrar muita desinformação e dúvidas pairando no ar.

Acompanhe conosco os 5 principais mitos sobre seguro de bike e veja como você pode se beneficiar deste tipo de cobertura.

1. Não aceitam bicicletas sem nota fiscal

Você possui uma bike, adquiriu-a por vias legais, conhece a procedência, mas perdeu a nota fiscal? 

Existe uma opção de seguradora para você.

Guardar os documentos fiscais de qualquer bem não é um hábito comum entre brasileiros e pensando nisto seguradoras como a Argo Protector entenderam que era importante poder atender esta parcela do mercado.

Portanto, estes ciclistas não estão excluídos da lista de “ciclistas seguráveis”. As seguradoras que fazem seguro de bicicletas possuem critérios para permitir que o proprietário que não tenha a nota fiscal, também possa estar coberto por uma apólice de seguros.

Descubra como funciona a contratação e as coberturas de um seguro de bike com nosso Guia completo!

O processo para quem não possui a nota fiscal já pode ser feito inteiramente online em algumas seguradoras.

Neste caso, a própria seguradora envia um número de Voucher durante o processo de contratação. Esse número deve ser impresso ou escrito em uma folha de papel de forma a ficar legível, e deve constar na foto da bike enviada à seguradora. 

2. O seguro de bicicleta é caro

O valor do seguro de bicicleta pode ser calculado pelo grau de exposição ao risco ao qual você está sujeito na sua rotina de pedais. 

Faça aqui a simulação gratuita do seguro para sua bike!

Esta percepção ao risco é bastante diferente dependendo de como e onde você pedala a sua bike. 

Depende ainda de quanto perto está a violência de você no dia-a-dia.

Entendemos que o custo do seguro é uma pequena fração comparado ao valor que você investiu em sua bike e quanto é caro para você deixar de pedalar se algo acontecer.

Hoje você encontra seguros completos à partir de R$ 200,00 e ainda poderá parcelar este valor, o que torna este investimento bastante acessível.

A diferença de valor entre seguradoras pode ser grande, mas é diretamente proporcional à amplitude de coberturas e serviços que elas oferecem.

Vale à pena fazer uma simulação para comparar os valores entre as diferentes seguradoras.

3. O seguro cobre qualquer situação de roubo

Como já tivemos a oportunidade de mencionar em outro post, existe uma modalidade de furto que não encontra cobertura em nenhum seguro de bicicleta.

Trata-se do furto simples, que se caracteriza pelo simples desaparecimento da bike, sem que o bandido deixe vestígios de seu crime.

Estes casos ocorrem quando nenhum obstáculo se interpõe ao bandido no momento do furto, como exemplo, quando uma bike está estacionada em uma garagem aberta sem estar presa por um cadeado devidamente afixado a algum objeto irremovível, ou mesmo em algum lugar trancado a chaves.

Estes casos não são amparados pelas apólices de seguros porque ela exigirá que você comprove que prendeu devidamente a bicicleta, cuidando para protegê-la.

Inclusive a Velo já divulgou um artigo com outros 

4. Não dá para fazer seguro de bike montada

Mito.

Muitos ciclistas ficam na dúvida se podem fazer o seguro daquela bike que foi cuidadosamente montada, peça por peça, até ficar completinha, perfeita e personalizada. 

Desconhecem que há seguradoras que oferecem recursos para informar separadamente todos os componentes não originais da bike. Inclusive já é possível que todo este processo seja feito online, ao alcance do seu mouse.

É muito importante, contudo, que o ciclista saiba atribuir corretamente o valor integral da sua bicicleta com todas as peças incluídas, para que a seguradora faça a aprovação do valor segurado. Em alguns casos, o ciclista terá que efetuar o mesmo processo daqueles que não possuem nota fiscal.

5 .O valor segurado diminui com o tempo

Isto dependerá da seguradora que você escolher.

Algumas opções de seguro de fato poderão aplicar a depreciação da bike, mas existem opções que fixa o valor aprovado até o final da vigência do seguro.

Uma vez que a seguradora faz a aprovação do seguro da bike no valor estipulado no momento da contratação, é este valor que deverá prevalecer até o último dos 365 dias em que o seguro vigorar.

A exceção é quando o segurado informa o valor da bike diferente do seu valor atual de mercado. Para isto é muito importante contar com a orientação de um especialista para  assegurar que a cotação da sua bike não seja super ou subdimensionada, já que não existe uma tabela FIPE para bicicletas.

Quer conhecer mais sobre seguros de bicicleta?  Visite nosso blog, assim você receberá nosso conteúdo novo e poderá acompanhar de perto as novidades da Velo Seguro.

​Quer estar protegido antes que alguma destas coisas aconteça?

Faça uma simulação gratuita e conheça o valor do seguro para sua bike.​​