Seguro de bike, o que cobre e o que não cobre?

Por Pedro Werneck

Graduando em Publicidade e Parceiro Veloseguro

Publicado em 25 de outubro de 2017. | Atualizado em 11 de dezembro de 2018.


Antes de contratar um seguro de bike, é essencial saber o que cobre e o que não está coberto na sua apólice de seguros. Saiba como não cair em armadilhas.

Se você acabou de fazer um seguro para sua bike, parabéns! Mas você conhece o seguro que acaba de contratar? Este texto irá te ajudar a compreender melhor quais as proteções você pode e aquelas que você não deve esperar a cobertura das seguradoras.

Seguro cobre apenas danos imprevistos

Seguros foram feitos para protegê-lo contra perdas e danos imprevistos. E esta palavra "imprevisto" faz todo o sentido para você compreender em que situações estará de fato protegido por sua apólice de seguros.

O segurado bem informado pedala mais tranquilo e sabe quais os comportamentos adotar para ter garantia de estar totalmente coberto pelo seu seguro de bike caso ocorra um sinistro. Por este motivo, selecionamos algumas coberturas excluídas que consideramos fundamentais que você entenda e evite ter a cobertura do seu seguro negado.

Furto simples

Este risco é sem dúvida o que causa maior indignação ao segurado mau informado. 

Imagine você receber esta notícia quando procurar o seu corretor de seguros para acionar a seguradora:

"Infelizmente, você não estará amparado por sua apólice de seguros neste caso". ​😓

O furto simples é aquele em que ocorre a subtração da bike sem o emprego de violência e sem que haja qualquer vestígio de que o furto ocorreu.

É naquela pausa para o lanche em que você deixa a bike encostada na porta da lanchonete e, naquela fração de segundos quando vai ao banheiro, zap. Alguém passa e leva sua bike, que você não deixou presa, nem pediu a um colega para vigiar enquanto ia fazer o número 1. 

A ocasião fez o ladrão, que não encontrou nenhuma dificuldade para levar sua bike embora.

Não foi preciso arrombar um cadeado, nem escalar um muro ou empurrar ou ameaçar ninguém.

O que você diria para a seguradora?

"Bem, na verdade eu descuidei, mas vocês precisam pagar pelo meu, digamos, lapso?"

O furto simples não é coberto por nenhum seguro de bike, pois a rigor não existe sequer prova de que ele realmente ocorreu.

É importante estar ciente desta cobertura excluída, e sempre prender sua bike com um bom cadeado a um objeto irremovível, como um poste, uma árvore, um portão, durante transporte ou quando for deixá-la sozinha, mesmo em casa ou durante pausas no pedal. 

As diferenças entre furto simples, furto qualificado e assalto são explicadas de maneira mais completa em um artigo que fizemos.

Deterioração gradual e manutenção deficiente

É importante que o ciclista esteja ciente de que o seguro não cobrirá danos decorrentes de desgaste natural das pelas devido ao uso da bike. Danos como oxidação, ferrugem, fadiga e corrosão não constam nas coberturas disponíveis, e portanto, é importante prestar muita atenção aos sinais de qualquer um destes danos antes de contratar o seguro de bike.

A manutenção também requer muita atenção, já que um serviço de manutenção deficiente e/ou inadequado pode causar danos posteriores à bike e estes não estarão incluídos no pacote de coberturas do seguro.

É importante que o ciclista faça a manutenção frequente e o reparo da sua bike em oficinas especializadas, assegurando um serviço de qualidade para deixar a sua magrela sempre em boas condições de uso.

Bike sobre guarda de terceiros

Se sua bike for furtada no período em que estiver em uma oficina, a responsabilidade pelo pagamento será da oficina, não da seguradora. Não há cobertura de um bem quando está sob responsabilidade de terceiros, seja pedalando ou simplesmente em manutenção com um profissional capacitado.

Sua apólice de seguros cobrirá apenas cônjuges e descendentes. Portanto, não saia emprestando sua bike para amigos pois em caso de furto ou roubo, você não estará amparado pela sua apólice de seguros.

Danos preexistentes

A seguradora não cobre danos preexistentes à data de início de vigência do seguro, que já eram de conhecimento do segurado. Este é mais um caso em que a atenção à pré-contratação é importantíssima. 

Faça uma inspeção geral na sua bike, para ter certeza de que esteja tudo em ordem e operando normalmente antes de efetivar a contratação do seguro.

Em caso de dano material, em uma suspensão, por exemplo, a seguradora poderá solicitar uma perícia técnica e se for detectado mau uso, negará o pagamento da indenização.

Comportamento negligente do segurado

O seguro de bicicleta não oferece cobertura para os casos em que houver negligência do segurado, na utilização e/ou operação da bicicleta, ou durante e após a ocorrência de qualquer sinistro.

Por exemplo, não é porque sua bike quebrou no meio da trilha que você poderá jogá-la de um penhasco. Como no exemplo anterior, não é porque possui o seguro, que você pode deixar a sua bike alguns minutinhos para dar uma fugida no banheiro.

Não é porque você possui um seguro de bike que irá sacrificá-la em atividades para as quais ela não foi projetada.

 Afinal, toda esta proteção é para mantê-la rodando e você, pedalando.

Furto ou dano dentro do veículo transportador

A cobertura de furtos durante transporte é válida se o ciclista está transportando a bike em um rack ou na caçamba (no caso de caminhonetes), devidamente presa com cadeados ou correntes, salvo quando o rack já possuir este dispositivo. ​

A cobertura de furto é válida enquanto transporta a bike, não com o carro estacionado e deixado fora da sua supervisão. 

Costumo treinar em um condomínio em Nova Lima/MG e vejo muitos ciclistas deixando suas bicicletas no rack para tomarem um açaí na lanchonete, longe da sua vista. 

Se este ciclista tivesse um seguro de bicicleta, não estaria protegido pela apólice de seguros.

Este é um tema que discutimos bastante com as seguradoras, já que cada uma interpreta de maneira diferente esta cobertura. Existe entendimentos de que apenas a bicicleta transportada em um rack terá amparo da cobertura. Mesmo eu considerando que guardar a bike dentro do veículo é mais seguro e discreto do que em um rack, já debati com seguradoras que não possuem o mesmo entendimento, ou diria, bom senso.

Minha recomendação para os ciclistas que tem costume de transportar a bike dentro do carro, é de deixar ela sempre presa com um cadeado. Isto não  irá garantir que o sinistro seja coberto, mas vai diminuir bastante as chances do furto acontecer. O mesmo vale para guardar a bike no porta-malas, onde ela não pode ser vista. 

Nossa experiência mostra que quando mais municiado de evidências, mais forte será o argumento junto à seguradora diante de situações em que a apólice oferece dúvidas em sua interpretação.

A única maneira segura de proteger a sua bike dentro do veículo é guardando-a dentro do porta-malas, longe da vista de bandidos e torcer para eles não o terem visto guardá-la.

Sempre que sair para pedalar, lembre que a proteção de sua bike depende também do seu comportamento.

Se você fizer a sua parte, ira reduzir drasticamente as chances de vir a acionar o seguro e convenhamos: Você prefere continuar com a sua bike ao ter que receber outra em substituição, não é verdade? 

Aproveite o seu pedal ao máximo, e se precisar conte com a Veloseguro.

Quer pedalar tranquilo? Faça uma simulação gratuita do nosso seguro, e descubra o valor do seguro completo para sua bike.​